- Ache os Cursos e as Faculdades certas para você! Clique aqui!

- Bolsas de Estudo - são mais de 1.200 faculdades oferecendo descontos de até 75%! Saiba mais!

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : Artigos

O que fazer quando os pais não concordam com a carreira que o filho quer seguir?


Fonte: Imprensa Feevale



Ao final do Ensino Médio – ou a cada vestibular – sempre surge a dúvida: o que cursar? Em meio ao processo de escolha, que exige a busca de informações sobre cursos e carreiras, uma das reclamações mais recorrentes dos jovens é em relação à discordância entre pais e filhos. Enquanto os primeiros tentam fazer os filhos optarem por cursos mais tradicionais, estes buscam cursos que tenham mais a ver ao seu perfil e estilo de vida.


Segundo Eloá de Oliveira da Silva, psicóloga da Universidade Feevale, muitos pais ainda veem com estranheza alguns cursos, como Moda, Jogos Digitais e Estética e Cosmética, por exemplo, pois são cursos novos, que não têm uma tradição no mercado de trabalho. “Nesses casos, é importante que os filhos levem informações para os pais sobre o curso, incluindo mercado de trabalho e média salarial”, aconselha a psicóloga, acrescentando que também é importante que eles convidem os pais a conhecerem os espaços do curso na instituição. “Quando os pais conhecem a estrutura do curso e conversam com os professores e coordenadores acabam entendendo a escolha do filho”, conclui Eloá.


Dicas


- O diálogo ainda é o melhor caminho; escute os argumentos dos seus pais, mas também peça para que ouçam os seus.

- Às vezes pode parecer cômodo seguir a tradição da família, escolhendo a mesma profissão dos pais e trabalhar em seu escritório ou consultório, mas se você não estiver feliz fazendo o seu trabalho, nada disso terá valor.

Muitos jovens acabam trocando de curso


Nas instituições de ensino superior, a cada começo de semestre ocorre um grande número de pedidos de transferência de curso. Muitos jovens acabam reavaliando a escolha da carreira, principalmente no início do curso. Na Universidade Feevale, por exemplo, as solicitações de transferência de curso chegaram a 912 nos últimos dois anos. Foram 478 em 2015 e 434 em 2016.


Em 2016, os cursos mais procurados para transferência foram: Direito; Psicologia; Enfermagem; Arquitetura e Urbanismo; Administração; e Fisioterapia. Já no ano anterior os cursos foram os seguintes: Direito; Educação Física; Enfermagem; Psicologia; e Engenharia Civil.





Versão para impressão     Enviar para um amigo